Como a Osteopatia pode atuar nas UTIs Neonatais?

Introducing an osteopathic approach into neonatology ward: the NE-O model
Francesco Cerritelli, Marta Martelli, Cinzia Renzetti, Gianfranco Pizzolorusso, Vincenzo Cozzolino and Gina Barlafante
Uma abordagem osteopática na neonatologia - o modelo NE-O

O objetivo do trabalho é  sugerir um protocolo sobre a abordagem osteopático (NE-O modelo) no tratamento de recém-nascidos internados.

O desenvolvimento do modelo NE-O, é um modelo concebido a partir do grupo NE-O da Accademia Italiana Osteopatia Tradizionale (AIOT). 

O objetivo do modelo NE-O foi codificar um procedimento osteopático para aumentar a confiabilidade, validade interna e externa, eficiência e precisão do diagnóstico e tratamento osteopático em recém-nascidos. 

O modelo NE-O foi testado em recém-nascidos, tanto prematuros e atermo, o consentimento de ambos os sexos com pais ou responsáveis legais 'informado por escrito. Critérios de exclusão foram aplicados. 

Ele é composto de um conjunto de procedimentos de avaliação e tratamento. A duração de uma sessão de osteopatia dura 30 minutos, 10 min para avaliação e 20 min para o tratamento. O modelo tem-se desenvolvido na sequência de duas fases: a execução no período de pré-teste e um período de pesquisa. 

O período de oito meses execução foi realizado entre abril de 2006 e dezembro de 2006. Consistia de avaliação e de tratamento de 100 recém-nascidos por 3 osteopatas (média ± SD: 43,6 ± 0,57 anos, um homem e 2 mulheres), com uma média de 9,6 ± 4,0 anos de experiência clínica e treinamento osteopático com os mesmos currículos. Os osteopatas seguiram o mesmo processo de avaliação e tratamento. 

O procedimento de avaliação envolveu um criterioso exame do quadro clínico do paciente, das assimetrias do crânio, da coluna vertebral, da pelve, das extremidades superiores e inferiores, das costelas, do diafragma, das vísceras. Todos esses exames foram descritos no artigo e detalhados, o que mostra um rigor na avaliação dos pacientes e ainda, uma preocupação com a metodologia.

O tratamento foi realizado utilizando se basicamente 25 tipos diferentes de técnicas de osteopatia (técnicas de counter strain, cranianas, fasciais, Jones-Hoover, funcionais e de equilibrarão ligamentar). O tratamento baseou se no raciocínio de Sutherland coma utilização dos pontos de equilibrarão. 

Esse modelos foi desenvolvido em 2006 e até hoje foi aplicado com a coleta dos dados em mais de 2000 pacientes neonatos. A efetividade deste modelo foi demonstrada em outras publicações, que serão listadas abaixo, demonstrando mais uma vez o rigor do estudo.

Pizzolorusso G, Turi P, Barlafante G, Cerritelli F, Renzetti C, Cozzolino V, D’Orazio M, Fusilli P, Carinci F, D'Incecco C: Effect of osteopathic manipulative treatment on gastrointestinal function and length of stay of preterm infants: an exploratory study. Chiropr Man Therap 2011, 19:15. 
Cerritelli F, Pizzolorusso G, Ciardelli F, La Mola E, Cozzolino V, Renzetti C, D’Incecco C, Fusilli P, Sabatino G, Barlafante G: Effect of osteopathic manipulative treatment on length of stay in a population of preterm infants: a randomized controlled trial. BMC Pediatr 2013, 13:65. 
Cerritelli F, Pizzolorusso G, Renzetti C, D’Incecco C, Fusilli P, Perri PF, Tubaldi L, Barlafante G: Effectiveness of osteopathic manipulative treatment in neonatal intensive care units: protocol for a multicentre randomised clinical trial. BMJ open 2013, 3:e002187.

Esses estudos mostraram o efeito do tratamento osteopático em pacientes neonatais na redução da duração da estadia no hospital, problemas gastrointestinais, complicações de pé torto e melhora na assimetria craniana das crianças afetadas pela plagiocefalia.

A finalidade deste estudo foi apresentar o modelo e não os resultados. Esse modelo de estudo apresentado deve servir de base metodológica para os próximos  estudos em osteopatia pois, levou em consideração a complexidade, desde a avaliação e o tratamento.

O presente artigo define as principais etapas para uma abordagem osteopática rigorosa e eficaz em ambiente da UTIN, proporcionando um exemplo científico e metodológico de medicina integrada e intervenção complexa.

E agora, com bases nesses estudos, podemos atuar como fisioterapeutas osteopatas nas UTIN com maior eficiência e com resultados tabulados cientificamente.



Por Leonardo Nascimento


 Leonardo Nascimento, Ft Msc ETM DO
 Fisioterapeuta pela UNICID/SP
 Pós graduado em Fisioterapia Ortopédica e Desportiva pela UNICID/SP
 Especialista em Terapia Manual e Postural pela Cesumar/PR
 Especialista em Osteopatia pela Universidade Castelo Branco/RJ
 Osteopata Certificado pela Escola de Madrid
 Mestre e Doutorando em Ciências da Reabilitação - USP
 Diplomado em Osteopatia pela SEFO (Scientific European Federation Osteopaths)

É um estudioso da área de palpação e sensibilidade manual tátil no Laboratório de Fisioterapia e Comportamento na Universidade de São Paulo - USP



É interessado na área de diagnóstico em Osteopatia e Terapias Manuais e na validação da palpação como ferramenta diagnóstica.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Alterações de Modic – a manipulação vertebral ajuda ou atrapalha?

EIPS e a confiabilidade de sua palpação