Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2016

Segmentação de subgrupos de pacientes com dor lombar crônica para tratamento manipulativo osteopático: Análise de Resposta de um estudo randomizado controlado

Imagem
Targeting Patient Subgroups With Chronic Low
Back Pain for Osteopathic Manipulative Treatment: Responder Analyses From a Randomized Controlled Trial John C. Licciardone, DO, MS, MBA Robert J. Gatchel, PhD, ABPP Subhash Aryal, PhD The Journal of the American Osteopathic Association March 2016 | Vol 116 | No. 3  TÍTULO EM PORTUGUÊS: Segmentação de subgrupos de pacientes com dor lombar crônica para tratamento manipulativo osteopático: Análise de Resposta de um estudo randomizado controlado CONTEXTO: O tratamento manipulativo Osteopática (OMT) é muitas vezes usado para tratar pacientes com dor lombar (LBP). Objetivo: identificar subgrupos de pacientes com lombalgia crônica que alcançam médias e grandes efeitos do tratamento com OMT com base na resposta análises que envolvam dor e os resultados da Saúde Osteopática funcionando resultados na experimentação crônica lombalgia. Métodos: Este duplo-cego, randomizado, controlado po

Troggle recoil e Pressão Arterial

         Troggle recoil é uma manobra muito técnica nas áreas das terapias manuais e muito utilizada na quiropraxia e osteopatia.            O objetivo deste ensaio clínico placebo controlado foi mensurar o efeito do tratamento e segurança de manipulação da coluna vertebral de troggle recoil e a sua interferência na pressão arterial.          Um total de 51 (cinzenta e um)  participantes com pré-hipertensão ou hipertensão estágio 1 (pressão arterial sistólica variando de 135 a 159 mm Hg ou pressão arterial diastólica variando de 85 a 99 mm Hg) foram divididos em 2 grupos: tropel recoil cervical alta ou manipulação placebo (que mais uma vez não é bem descrita no artigo e como sempre lembramos de nossas publicações anteriores, já falamos sobre o placebo em osteopatia nesse blog).          Os participantes foram vistos por um quiropraxista duas vezes por semana durante 6 semanas e permaneceram em seus medicamentos anti-hipertensivos, como prescrito, durante todo o procedimento.  

O paradoxo da osteopatia.

THE PARADOX OF OSTEOPATHY O paradoxo da osteopatia. Texto de Joel D Howel, MD, PhD – tradução completa do editorial publicado pela new england journal of medicine. Na primavera de 1864, Andrew Taylor Still, uma praticante rural do Kansas, assistiu impotente como o melhor dos medicamentos disponíveis não conseguir salvar seus três filhos a partir de meningite espinal. Amargamente desapontado, estabeleceu uma prática de cura alternativa. Ele eventualmente baseou seu novo sistema na ideia de que manipulação da coluna vertebral pode melhorar o fluxo sanguíneo e, assim, melhorar a saúde, permitindo que o corpo se curar. Sua filosofia inclui uma saudável dose de moralismo; pacientes foram proibidos de consumir qualquer bebida alcoólica e, como parte da ruptura com as práticas existentes, foram também proibidos de tomar qualquer medicamento. 1 Ainda fundada uma escola para ensinar o seu novo sistema de osteopatia em Kirksville, Missour