Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2016

E a ATM como captor postural?

A pergunta que sempre fazemos na clínica é: DTM causa dores musculares, articulares, generalizadas e/ou crônicas? Existe essa associação? Esse foi o objetivo desse estudo, associar a dor causada pela disfunção temporomandibular (DTM) a sintomas físicos de outros distúrbios da dor crônica e comorbidades, como dor muscular e articular generalizada. Avaliar a prevalência de dor comórbida em articulações, especificamente nos joelhos, quadris, tornozelos, ombros, pulsos e cotovelos, em indivíduos com e sem DTM. Ou seja, a ATM (Articulação temporo mandibular) é realmente um captor postural que quando desregulado (disfuncional) pode levar a dores generalizadas? Foram avaliados 337 pacientes de um hospital público da cidade do Rio de Janeiro, Brasil. O critério de Diagnóstico de Pesquisa para DTM foi utilizado para o diagnóstico de DTM. Para avaliar a presença de outras dores articulares, os pacientes foram solicitados a responder perguntas considerando: a presença de dor nas articulaç

Alta força versus baixa força de tração lombar em ciática lombar aguda devido a hérnia de disco: um estudo randomizado preliminar

Imagem
High-Force Versus Low-Force Lumbar Traction in Acute Lumbar Sciatica Due to Disc Herniation: A Preliminary Randomized Trial Alta força versus baixa força de tração lombar em ciática lombar aguda devido a hérnia de disco: um estudo randomizado preliminar Marie-Eve Isner-Horobeti, MD, PhD, a, b Stéphane Pascal Dufour, PhD, c Michael Schaeffer, PhD, c Erik Sauleau, MD, PhD, c Philippe Vautravers, MD, a Jehan Lecocq, MD, b and Arnaud Dupeyron, MD, PhD Objetivo: Este estudo comparou os efeitos de alta força versus tração lombar de baixa força no tratamento de Ciática lombar secundária à herniação discal. Métodos: Foi realizado um estudo duplo-cego randomizado de 17 sujeitos com ciática lombar aguda secundária a Hérnia de disco foram atribuídos a alta força de tração a 50% do peso corporal (BW, LT50, n = 8) ou baixa força de tração a 10% BW (LT10, n = 9) para 10 sessões em 2 semanas. Dor radicular (escala analógica visual [VAS]), movimento lumbo-pélvico-quadril complexo

Como realizar a palpação de localização dos processos transversos torácicos?

Para a avaliação da coluna torácica, a palpação dos tecidos é parte fundamental do exame físico. Para sua correta localização, um profundo conhecimento da anatomia é fundamental, a forma das estruturas, o tamanho, a profundidade e a densidade são parâmetros imprescindíveis para sua palpação de localização. Métodos de palpação foram propostos para orientar os clínicos na localização dos processos transversos torácicos. No entanto, nenhum estudo avaliou a validadação da palpação dos processos transversos torácicos ou o sua melhora utilizando se do ultra-som musculoesquelético. Esse estudo explorou a validadação da localização dos processos transversos torácicos usando palpação, como comumente realizada pelos clínicos,  desenvolveou um método de palpação preciso e válido, e  avaliou o valor agregado ao US. Um procedimento padronizado foi utilizado em seis cadáveres. Consistiu na inserção de marcadores através dos processos transversos de  T3, T5, T6 e T8 e processo