Tratamento Osteopático Manipulativo em atletas de alto nível

Tratamento Osteopático Manipulativo pré competição e o desempenho da atletas de futebol americano da Virginia Tech durante duas temporadas consecutivas - um estudo preliminar, retrospectivo.



Precompetition Manipulative Treatment and Performance Among Virginia Tech Athletes During 2 Consecutive Football Seasons: A Preliminary, Retrospective Report


Autores - Per Gunnar Brolinson, DO; Michael Smolka, DO; Mark Rogers, DO, MA; Suporn Sukpraprut, PhD, MA, MSc; Michael W. Goforth, MS, ATC; Greg Tilley, DC; Keith P. Doolan, MS, ATC



Um dos objetivos de proporcionar tratamento manipulativo como um tratamento manipulativo osteopático (OMT) é restaurar máxima amplitude de  movimento livre de dor no sistema músculo-esquelético e melhorar a função neuromuscular. Curiosamente, alguns atletas têm relatado que seu desempenho atlético melhora após tratamento manipulativo. 

O estudo teve como objetivo desenvolver dados preliminares para ganhar mais conhecimento sobre a associação entre tratamentos manipulativos antes da competição prestados à  jogadores de futebol americano da Primeira Divisão e seu desempenho atlético durante cada jogo por 2 temporadas de futebol consecutivas. 

O desenho foi um estudo de coorte retrospectivo. Os participantes eram atletas de futebol no Virginia Polytechnic Institute and State University (Virginia Tech). 

Médicos osteopatas (nos EUA a osteopatia é uma especialidade médica) certificados que foram treinados em Medicina Osteopática manipulativa e medicina esportiva realizaram a avaliação e o tratamento de  OMT.  Esses profissionais determinaram o tipo de técnicas utilizadas e os segmentos da coluna tratados. 

Um quiroprático realizou terapia manipulativa quiroprática nos jogos em casa e isso pode ser considerado um grande viés do estudo pois, os raciocínios clínicos e as técnicas utilizadas pela Osteopatia e Quiropraxia são diferentes.

Antes de cada jogo, os atletas que optaram por receber antes da competição tratamento manipulativo (OMT ou terapia manipulativa quiroprática) foram submetidos a um exame físico específico e receberam tratamento manipulativo com base em achados clínicos e elaboração do diagnóstico. 

Depois de cada jogo, a comissão técnica classificava os jogadores, usando um algoritmo de treinamento padrão. Jogadores ofensivos receberam uma pontuação percentual (0 a 100) e os jogadores de defesa receberam uma pontuação numérica (> 30 foi considerado "muito bom"). 

Um total de 1.976 tratamentos manipulativos foram fornecidos para 115 jogadores de futebol em duas temporadas de futebol consecutivos. 

Sessenta e dois jogadores ofensivos receberam 985 tratamentos manipulativos, e 53 jogadores de defesa receberam 991 tratamentos manipulativos. 

Os tratamentos foram aplicados para as regiões da coluna: cervical, torácica, lombar e sacral. 

Os resultados encontrados evidenciam que antes da competição o tratamento manipulativo foi positivamente associado com melhor desempenho entre ambos os jogadores de futebol da Virginia Tech, tanto ofensivos e defensivos.

Não temos dados estatísticos que comprovem efetivamente essas associações entre esses dois fatores estudados (amplitude de movimento sem dor e controle neuromuscular).  Porém, foram encontradas correlações positivas no desempenho dos jogadores ofensivos e defensivos. 

Essas correlações entre melhora do desempenho dos atletas foram descritas pelos autores como um efeito colateral já que nas evidências científicas encontradas na literatura mostravam que a OMT teria uma ação maior na amplitude de movimento sem dor e no controle neuromuscular.


As metas de prestação de medicina manual são para restaurar máxima amplitude de movimento livre de dor no sistema músculo-esquelético, melhorar a função neuromuscular e melhorar o equilíbrio biomecânico. 

Antes da competição as técnicas de tratamento manipulativo visam melhorar a função músculo-esquelética preparando os tecidos moles, estruturas periarticulares e "otimizar" a função articular. Essa experiência com os jogadores de futebol no Virginia Polytechnic Institute and State University (Virginia Tech) sugere que uma parte substancial dos atletas antes da competição deveria solicitar tratamento manipulativo tanto para o controle da dor das lesões atuais e para melhorar o desempenho. 

Estudos baseados em evidências mostram benefício da utilização de manipulação para tratar pacientes com lesões músculo-esqueléticas. Tratamento manipulativo osteopático (OMT), por exemplo, tem sido mostrado para reduzir a recidiva de dor, também mostra que as técnicas da medicina manual pode ter um efeito sobre diversos parâmetros cinemáticos do funcionamento da coluna vertebral que poderia ser benéfico para a saúde e o desempenho dos atletas. 

Um  outro estudo mostrou o efeito da quiropraxia  (HVLA) na melhora da extensão do quadril em atletas juniores masculinos saudáveis ​​com diagnóstico de restrição de extensão de quadril (através do teste de Thomas). Quiropraxia terapia também melhorou o desempenho em vários testes de agilidade, força, velocidade, e tempo de reação.


Tratamento manipulativo foi fornecido como padrão de atendimento aos atletas nos Jogos Olímpicos e outros grandes eventos esportivos internacionais antes da competição esportiva games.

Por poder ajudar a melhorar a função musculoesquelética por apreparar os tecidos moles para otimizar os resultados função.

Ensaios clínicos preliminares mostraram que a terapia manipulativa da coluna vertebral(SMT), ajudou a melhorar o funcionamento dos músculos paravertebrais aferidas por eletromiografia de superfície. 

Um estudo piloto investigou o efeito do SMT em jogadores, descobriram que os jogadores que foram aleatoriamente designados para receber um programa de alongamento e SMT melhoraram significativamente seu desempenho médio completo em comparação com os jogadores que receberam apenas um programa de alongamento. 

Uma revisão sistemática de oito estudos que avaliaram a eficácia da OMT sobre a dor lombar em comparação com grupo controle. O estudo mostrou que a OMT ajudou a reduzir a queixa de dor lombar, e este achado foi estatisticamente significativo.

Em outro estudo, a técnica de energia muscular foi utilizada para melhorar a  amplitude de movimento cervical em flexão e rotação. 

Os resultados destes estudos podem fornecer alguma explicação para o potencial benefício do tratamento manipulativo antes da competição para atletas.

Embora haja uma longa história de utilização da medicina manipulativa em atletas, há um número limitado de publicações que demonstram que, na verdade, melhora o desempenho. 

O objetivo do presente estudo foi desenvolver dados preliminares para ganhar mais conhecimento sobre a associação entre o tratamento manipulativo fornecido para os jogadores de futebol da I Divisão, antes de cada jogo e seu desempenho atlético durante cada jogo de 2 temporadas de futebol consecutivos na Virginia Tech. 

E agora, teremos uma Olimpíada no Brasil em 2016 e temos que preparar nossos atletas, será que vale a pena ter um osteopata nas equipes esportivas?

Disponível em http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22984234


Por Leonardo Nascimento


 Leonardo Nascimento, Ft Msc ETM DO
 Fisioterapeuta pela UNICID/SP
 Pós graduado em Fisioterapia Ortopédica e Desportiva pela UNICID/SP
 Especialista em Terapia Manual e Postural pela Cesumar/PR
 Especialista em Osteopatia pela Universidade Castelo Branco/RJ
 Osteopata Certificado pela Escola de Madrid
 Mestre e Doutorando em Ciências da Reabilitação - USP
 Diplomado em Osteopatia pela SEFO (Scientific European Federation Osteopaths)

É um estudioso da área de palpação e sensibilidade manual tátil no Laboratório de Fisioterapia e Comportamento na Universidade de São Paulo - USP


É interessado na área de diagnóstico em Osteopatia e Terapias Manuais e na validação da palpação como ferramenta diagnóstica.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Alterações de Modic – a manipulação vertebral ajuda ou atrapalha?

Dor lombar crônica e disfunção somática - qual a correlação?

Terapia Craniosacral em Transtornos do Espectro do Autismo.