SOMATOVISCERAL RESPONSE FOLLOWING OSTEOPATHIC HVLAT: A PILOT STUDY ON THE EFFECT OF UNILATERAL LUMBOSACRAL HIGH-VELOCITY LOW- AMPLITUDE THRUST TECHNIQUE ON THE CUTANEOUS BLOOD FLOW IN THE LOWER LIMB
Agust B. Karason, BSc (Hons), DO,a and Ian P. Drysdale, PhD, DOb

Journal of Manipulative and Physiological Therapeutics Volume 26, Number 4, 2003


Introdução: o tratamento de manipulação da coluna vertebral é amplamente utilizado entre os terapeutas manuais, embora o conhecimento sobre os efeitos fisiológicos absolutos não foi claramente estabelecida. Neste estudo, 20 indivíduos do sexo masculino saudáveis ​​foram submetidos a uma velocidade alta-baixa amplitude de impulso unilateral (HVLAT) para a junção lombossacral, enquanto o fluxo de sangue cutâneo no dermátomo correspondente do membro inferior foi monitorizada.

Métodos: Os sujeitos foram submetidos a manipulação simulada antes da manipulação real e atuou como seu próprio controle. A fluxometria de Doppler a laser foi usada para medir as variações relativas no fluxo do sangue cutâneo durante o dermátomo L5 durante 5 minutos antes da manipulação simulada, durante 5 minutos, entre o engodo e a manipulação real, e durante 5 minutos, após o ajuste da coluna vertebral. Análise de variância (ANOVA) e teste de Tukey post hoc de análise foi utilizado para a interpretação dos dados.

Resultados: Doze indivíduos não-fumantes, que receberam uma manipulação HVLAT bem sucedido, mostrou um aumento significativo (P 􏰀 0,001) em perfusão sanguínea, tanto ipsi e contralateralmente. Seis fumantes responderam com uma diminuição significativa no fluxo sanguíneo ipsilateralmente (P <0,01) e contralateral (P < 0,001) após a manipulação HVLAT.

Conclusão: Os resultados deste estudo apoiam hipóteses publicados anteriores que os ajustes da coluna vertebral fora da região do fluxo simpático em consequência de um aumento no fluxo de sangue cutâneo. Mais estudos serão necessários para confirmar os resultados deste estudo, e mais conhecimento é necessário sobre os efeitos neurofisiológicos específicos de manipulação da coluna vertebral. (J Physiol Ther manipulativo 2003; 26: 220-5)

Um forte abraço

Bons estudos.

Fellipe Amatuzzi Teixeira, Ft, Msc, D.O.
Fisioterapeuta
Osteopata pela Escuela de Osteopatia de Madrid - EOM
Especialista em Osteopatia - UCB/RJ
Member of Scientific European Federation Osteopaths - SEFO
Mestre em Educação Física - UCB/DF
Doutorando em Ciências e Tecnologias em Saúde - FCE/UnB

CURRICULUM LATTES 

Prof Fellipe Amatuzzi é osteopata DO pela EOM e professor do curso de Fisioterapia da Universidade de Brasília
É um interessado em estudos relacionando a Osteopatia e o Sistema Nervoso Autonômico por meio da Variabilidade da Frequência Cardíaca




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Alterações de Modic – a manipulação vertebral ajuda ou atrapalha?

Dor lombar crônica e disfunção somática - qual a correlação?

Precisamos nos atualizar sobre manipulações cervicais