The comparison of the immediate effects of application of the suboccipital muscle inhibition and self-myofascial release techniques in the suboccipital region on short hamstring
Sung-Hak CHo, PhD, PT1), Soo-Han kim, PhD, PT2), Du-Jin Park, PhD, PT2)*
1) Department of Physical Therapy, Graduate School, Catholic University of Pusan, Republic of Korea 2) Department of Physical Therapy, College of Health Medicine, Kaya University: 208 Samgye-ro,
Gimhae, Kyongnam 609-757, Republic of Korea
J. Phys. Ther. Sci. 27: 195–197, 2015

O objetivo deste estudo foi investigar o efeito de realizar a inibição muscular suboccipital (SMI) e a liberação de auto-miofascial (SMFR) técnicas na área suboccipital sobre a flexibilidade do tendão dos isquiotibiais. 



Cinqüenta pessoas com isquiotibiais encurtados participaram desta pesquisa. De acordo com os resultados do teste de distância dedo-chão (FFD), os sujeitos foram alocados para SMI e SMFR grupos de 25 indivíduos cada.

Técnicas [Métodos] A SMI , SMFR e o teste de angulo poplíteo (AP) foram aplicados aos grupos. Para a análise, foi utilizado o teste FFD e a perna elevada (SLR) teste em linha reta para a flexibilidade dos isquiotibiais. O avaliador foi cego.

No grupo SMI, FFD, SLR e AP foram alteradas significativamente após a intervenção, e no grupo SMFR, houve uma mudança significativa no SLR após a intervenção. Numa comparação entre os grupos, FFD verificou-se ser significativamente aumentada no grupo SMI.

Aplicação da SMI e SMFR  para pessoas com limitações curtos resultou em aumentos imediatos na flexibilidade do tendão. No entanto, podemos ver que a técnica SMI foi mais eficaz.

Alguns outros estudos demonstram resultados semelhantes:


APARICIO, E.Q. QUIRANTE,L.B. Blanco, C.R. Sendín, F.A. Immediate Effects of the Suboccipital Muscle Inhibition Technique in Subjects With Short Hamstring Syndrome. Journal of manipulative and Physiological therapeutics, 2009, vol.32., n. 4, p. 262-69.

POLLARD, H. WARD, G. A study of two stretching techniques for improving hip
flexion range of motion. JOURNAL MANIPULATIVE PHYSIOLTHER, 1997. P.443-7.

Para ganhar amplitude de movimento de flexão de quadril ou do angulo poplíteo é interessante se mexer na base do crânio. Isso é muito a cara da osteopatia.


Um forte abraço

Bons estudos.

Fellipe Amatuzzi Teixeira, Ft, Msc, D.O.
Fisioterapeuta
Osteopata pela Escuela de Osteopatia de Madrid - EOM
Especialista em Osteopatia - UCB/RJ
Member of Scientific European Federation Osteopaths - SEFO
Mestre em Educação Física - UCB/DF
Doutorando em Ciências e Tecnologias em Saúde - FCE/UnB

CURRICULUM LATTES 

Prof Fellipe Amatuzzi é osteopata DO pela EOM e professor do curso de Fisioterapia da Universidade de Brasília
É um interessado em estudos relacionando a Osteopatia e o Sistema Nervoso Autonômico por meio da Variabilidade da Frequência Cardíaca




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Alterações de Modic – a manipulação vertebral ajuda ou atrapalha?

Precisamos nos atualizar sobre manipulações cervicais

Dor lombar crônica e disfunção somática - qual a correlação?